prybiczmaria@gmail.comFollow by Email tyle>.ig-b- { display: inline-block; } .ig-b- img { visibilit

sábado, 10 de janeiro de 2009

"EM TEMPO!" "DISCURSO DO PAPA"

PAPA BENTO XVI (FÉ E CIÊNCIA)

(...) a afirmação que vem no início do relato da criação: lá se fala do espírito criador que paira sobre a água, cria o mundo e continuamente o renova. A fé no espírito criador é um conteúdo essencial no Credo cristão. O fato de que a matéria traga em si uma estrutura matemática - seja plena de espírito - é o fundamento sobre o qual se apóia a moderna ciência da natureza. Somente porque a matéria é estruturada de modo inteligente, o nosso espírito é capaz de interpretá-la e de ativamente remodelá-la. O fato de esta estrutura inteligente provir do mesmo Espírito criador que deu o espírito também a nós implica igualmente uma tarefa e uma responsabilidade. Na fé acerca da criação está o fundamento último da nossa responsabilidade em relação à Terra. Ela não é simplesmente uma propriedade nossa de que podemos usufruir segundo nossos interesses e desejos. É antes um dom do Criador que nela desenhou um ordenamento intrínseco e com isso lhe deu o sinal orientador a que devemos nos ater como administradores de sua criação. O fato de a Terra, o cosmo, refletirem o Espírito criador significa bem que a sua estrutura racional - que, além da ordem matemática, no experimento é tornada quase palpável - traz em si também uma orientação ética. O Espírito que lhes plasmou é mais que matemática: é o Bem em pessoa que, mediante a linguagem da criação, nos indica a estrada da vida correta.
- TIRADA DO MESMO DISCURSO:
Parte integrante da festa é a alegria. A festa pode ser organizada; a alegria, não. Esta só pode ser oferecida como dom; e, de fato, nos tem sido dada abundantemente, e somos gratos por isso. Como São Paulo afirma que a alegria é fruto do Espírito Santo, da mesma forma também João em seu Evangelho uniu intimamente o Espírito e a alegria. O Espírito Santo nos dá a alegria. Ele é a alegria. A alegria é o dom no qual se resumem todos os outros dons. É a expressão da felicidade, do estar em harmonia consigo mesmo, que só pode derivar da harmonia com Deus e com sua criação.
'- E o sorriso faz parte também integrante da alegria harmônica da felicidade!'
Fonte: Gazeta do Povo
Ctba,10/janeiro/2009
Maria M. Prybicz
(Obs.:o grifo é meu).

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Economista/Professora/Escritora de Blog e outros; Disciplina: Gestão de Negócios; - Autonomia em Consultorias em Geral.