prybiczmaria@gmail.comFollow by Email tyle>.ig-b- { display: inline-block; } .ig-b- img { visibilit

sábado, 2 de dezembro de 2017

1 TEMA: PARA O EQUILÍBRIO DAS FINANÇAS PESSOAIS
2 OBJETIVOS
2.1 Geral
Como na nossa comunidade as pessoas têm famílias média e vivem com um salário mais ou menos de um salário de médio a bom, é de suma importância saber como aplicar esse valor, assim precisam saber mais sobre a economia financeira, que vai além de apenas se priva de comprar alguns objetos, mas também primar pelo mais importante para nossas vidas! Saber poupar, como aplicar o dinheiro e se possível sempre comprar à vista e em muitos casos fazer financiamento com melhores taxas de juros, o que resulta em sobrar muito mais para futuras aplicações, ou seja, da melhor maneira de investir.
2.2 Específicos
Saber a melhor maneira de aplicar o dinheiro.
Outra maneira de obter alguma renda extra é aplicar alguns recursos no mercado de capitais. Aí também o risco pode ser grande se não houver experiência da pessoa a ser ovos numa mesma cesta, isto é, diversificar os investimentos em variados fundos e/ou empreendimentos. Pode-se aplicar também em tesouro direto para aqueles que tem uma reserva financeira, uma aplicação em títulos do governo, seu rendimento é superior ao da poupança, rende de 12% a 25% ao ano com liquidez diária e em caso de emergência a liquidez é imediata com os rendimentos. Também temos RDC - Recibo de Depósito Cooperativo, tem liquidez diária e tem lastros nos papéis/fundos de renda fixa. Tem rendimento acima da poupança, porem quanto o maior prazo aplicado o IR e IOF é menor. Existe tembem LCI (letras de crédito imobiliário) e LCA (letras de credito do agronegócio), porem o mínimo a ser aplicado tem que ser 30 e 50 mil respectivamente!
A melhor forma de investi-lo.
Expandir o conhecimento sobre o assunto com leituras que existem no mercado financeiro e também:.
- Faça um orçamento mensal e relacione uma lista de receitas e despesas;
- Determine um percentual de renda a ser poupado e investido;
- Pesquise antes de comprar, veja os melhores preços e ser for financiar verifique se esta alternativa é viável com relação aos juros, senão procure comprar à vista porque com os juros que irá pagar pelo financiamento daria para comprar 2 produtos dos quais você tem interesse;
- Negocie descontos nos preços para pagamento à vista, cuidado com cheques pré-datados e cartões de crédito;
- Só assuma compromissos que possa pagar em dia, evite prazos, juros e multas.
ENDIVIDAMENTO
Pesquisas revelam que existem longevos de 60+ com dívidas principalmente nos consignados, e estão em situação de inadimplência. Nestes casos a melhor maneira é renegociar a divida. Buscar juros menores e rever os orçamentos individuais. Buscar créditos de baixo custo.
CONSUMO CONSCIENTE RESPONSÁVEL
Também é um desperdício de nossos recursos, são recursos finitos, portanto consumidor compulsivo, o que compra pelo apelo da mídia acaba sendo sem utilidade alguma e acaba indo parar no lixo!
3 JUSTIFICATIVA
Esse projeto é uma exigência do Curso 60+ , que está sendo realizado no SESI pelo Coordenador Rafael Sanches Neto, Marília e Mariam. Para termos mais conhecimento sobre como administrar nosso próprio dinheiro, o que no futuro possa nos ajudar ,
4 PLANO DE AÇÃO
4.1 Duração: Até fevereiro de 2018.
4.2 Metas e Ações
Meta: Promover a inclusão social a atividades práticas do Grupo 60 + .
Ação: Viagens de estudo, integração entre os longevos 60 +.
Meta: Ter conhecimento do estilo de vida da comunidade a que estão inseridos os
longevos 60 +.
Ação: Enquetes e questionários.
Meta: Divulgação das atividades realizadas pelo grupo.
Ação: através do blog do projeto, whatsapp, email e outros.
4.2.2 Metodologia:
Encontros do grupo uma vez por semana para discussão de ideias, aplicação de enquetes, tabulação dados, criação do blog para a divulgação do conteúdo, viagens de estudo e atividades práticas.A partir dos meios tecnológicos disponíveis no SESI, será feito a organização do trabalho desenvolvido pelo grupo de finanças.
5 RECURSOS
Quadro branco, caderno, material impresso, computadores, data show, celular.
6 CRONOGRAMA
Data
Fevereiro
Primeira reunião para definir as estratégias a  realizar:
Criação do blog, pesquisas e publicação.
Pesquisa on- line e atualização do blog.
Enquete, os dados já
Foram tabelados.
Pesquisa.
7 REFERÊNCIA
DESLANDES, Sueis Ferreira. Pesquisa social teoria , método e criatividade.petrópolis,R1:vozes.1994.
PARTICIPANTES DO CURSO 60+:
Maria Madalena Prybicz
Jose Francisco da Silva
Terezinha Soares da Costa
Jose Humberto Damigo

Ctba, 02/dez/17
Maria Prybicz




segunda-feira, 27 de novembro de 2017


"EDUCAR É DESENSINAR COM O PROPÓSITO DE ELIMINAR PRECONCEITOS E INTOLERÂNCIA."
- FRANK H. KNIGHT

- Improvável que a riqueza causada pelos dispêndios governamentais sejam completamente compensados pela riqueza destruída pelos impostos lançados para pagar tais dispêndios! 
- Como se tudo que estivesse envolvido fosse uma simples transação contábil! Onde A é olhado e B esquecido, resumindo-se nas classes econômicas de uma nação!
Fonte: Henry Hazlitt




segunda-feira, 16 de outubro de 2017

PRAXEOLOGIA (TEORIA DA AÇÃO)

SAY escreveu: 

"Um tratado sobre economia política estará... confinado a enunciação de uns poucos princípios, que sequer precisam ser sustentados por provas ou ilustrações; pois eles não serão nada além da expressão daquilo que todo mundo conhecerá, organizado de uma forma conveniente para compreendê-los, assim como em seu escopo integral e suas relações". "E a economia política... sempre que os princípios que o constituem suas bases forem as reduções rigorosas de fatos comuns inegáveis, estará baseada sobre uma fundação imóvel".

O incontestável axioma da ação! Conclui-se que determinado sujeito quando toma uma decisão é irreversível e pode gerar lucro e/ou prejuízo mas, pela matemática fazemos a análise do resultado para que não ocorra aquele que não queremos, ou seja, se não queremos prejuízo, faremos cálculos para evitá-lo!

Ctba, 16/out/17
Maria Prybicz

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

DISPARIDADES DE RENDA ENTRE RICOS E POBRES!

 DESIGUALDADE BRASILEIRA! 

Todos já sabemos que se não houver uma resolução quanto à desigualdade de renda no Brasil, o País não será desenvolvido e muito menos sustentável nos próximos anos e quiçá nos próximos séculos! 

Muitos já falaram e continuam alertando os nossos dirigentes e/ou administradores sérios do Brasil mas, o que está parecendo é uma utopia, ou estão fazendo de conta que isso não vai afetá-los! 

Economistas renomados constataram essa disparidade com relação a diferença de renda entre os mais ricos e os mais pobres! 

A pirâmide social com um gargalo enorme entre um e outro!

Brasil não cresce se não reduzir sua desigualdade, diz Thomas Piketty! 

 - Me parece obvio o que diz este economista na atualidade quando que, outros já falaram incessantemente! 

 Ctba, 28/set/17

 Maria Prybicz

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

A FUNDAÇÃO CERTI - CENTRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIAS INOVADORAS - ORGANIZAÇÃO PRIVADA, INDEPENDENTE E SEM FINS LUCRATIVOS - SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS INTEGRADAS PARA INOVAÇÃO EM PRODUTOS E PROCESSOS! Universidades com integração para Economia Verde; Convergência Digital; Instrumentação e Testes; Manufatura Avançada; Planejamento, Controle e Garantia de Qualidade; Energia Sustentável; Metodologia e Avaliação da Conformidade; Empreendedorismo Inovador; Mecatrônica - Sistema Inteligentes; Sistemas Embarcados; Processos e Produtos. Desde 1984, atua em pesquisa aplicada, desenvolvimento de produtos e processos inovadores, empreendedorismo e serviços tecnológicos, com reconhecimento nacional e internacional. Fonte:Fundação CERTI Curitiba, 25/set/2017 Maria Prybicz

terça-feira, 29 de agosto de 2017

EMPOBRECIMENTO DA POPULAÇÃO EM PROVEITO DOS BANCOS!
Happy days are back...

Está surgindo nos últimos meses de 2017 um conjunto de estudos a respeito de como se perdeu a oportunidade. A crise poderia ter gerado uma volta a uma certa regulação ao ordenamento do sistema financeiro. O que aconteceu é que, de um lado, essa bolha financeira gerada pelos grandes bancos teve seu buraco compensado com dinheiro público – cerca de 4 trilhões de dólares nos Estados Unidos e outros tantos na Europa – que normalmente seria destinado a investimentos em infraestrutura, políticas sociais, saúde, educação e outras do gênero, mas foi desviado para bancos. Esse cenário possibilitou a criação da política de austeridade, que promove um empobrecimento da população em proveito dos bancos.

Nesse movimento se geraram tensões políticas, mas apenas embriões de uma possível volta a uma política de regulação. Nos Estados Unidos, se negociou a lei Dodd-Frank, que substitui a lei que assegurou a estabilidade financeira durante 30 anos no pós-guerra, a Glass Steagall. Logo no início da crise em 2008, se avançou com essa regulamentação, e assim que os bancos voltaram a ter os bolsos cheios e a situação se tranquilizou, com as populações aceitando a tal da austeridade, começaram a liquidar a lei Dodd-Frank e se voltou ao sistema de caos financeiro de hoje. Saiu essa semana um estudo sobre fraudes financeiras dos grandes bancos, como as praticadas pelo Bank of America. As multas que eles têm que pagar por fraudes e atos do gênero chegam a 340 bilhões de dólares. Esse é o nível da fraude. Estão se sentindo à vontade de novo, eles mesmo dizem: “happy days are back”.

Brasil, o país já tinha liquidado a regulação financeira que estava no artigo 192 da Constituição Federal de 1988 e limitava os juros e os processos especulativos. Esse artigo foi liquidado por meio de uma PEC em 1999 e uma emenda constitucional em 2003. Não se aproveitou a oportunidade de por ordem no sistema.

Esse crime só compensa, como gera um poder suficientemente grande para que esses processos se tornem legais. Por exemplo, de toda essa gente que criou esse caos a partir de 2008, ninguém foi preso. Eles são fortes o bastante para criar um sistema jurídico paralelo, com acordos pelos quais as empresas pagam uma multa para a qual já fizeram provisão. Sabem que estão fazendo errado, pagam, mas não obrigados a reconhecer culpa. Ninguém é preso. Pagam a multa e continuam no mesmo processo. No nível mundial, temos o Bank of America, o Deutsche Bank, o Barclays, Morgan, todos os grandes bancos estão nesse processo. Eles têm força para dobrar a legalidade.
Por Ladislau Dawbor

Ctba, 29/ago/17
Maria Prybicz

sábado, 26 de agosto de 2017

DESIGUALDADES ECONOMICAS, CULTURAIS E IDEOLÓGICAS!

Somos analfabetos políticos e a primeira lição é ter vergonha na cara diante das desigualdades. Existe vida digna muito além dos Jardins, meu caro comandante da Rota, se é que o sr. me entende.
(Xico Sá)

Ctba, 26/ago/17
Maria Prybicz

Quem sou eu

Minha foto
Economista/Professora/Escritora de Blog e outros; Disciplina: Gestão de Negócios; - Autonomia em Consultorias em Geral.