prybiczmaria@gmail.comFollow by Email tyle>.ig-b- { display: inline-block; } .ig-b- img { visibilit

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

"A ECONOMIA SE CONSOLIDA"

INCENTIVOS JÁ CUSTARAM R$ 23 BILHÕES EM PERDA DE ARRECADAÇÃO
“MERCADO AQUECIDO”
- O resultado -, veremos em melhoria do bem estar da população, a renda estando nas mãos de quem vai girar! Através do consumo das famílias se matem o mercado aquecido, beneficiando e atingindo indiretamente a área governamental -, no que diz respeito à arrecadação -, pois os consumidores comprando mais e mais – estarão fazendo o giro do capital e conseguintemente pagarão mais impostos, tornando-se assim a roda giratória constante! Nos próximos meses veremos que haverá retorno financeiro, através dos impostos arrecadados. Quanto mais renda se injeta no mercado é como comparadamente com injeções intravenosas de sangue! (Mª M. Prybicz)
- As desonerações tributárias concedidas pelo governo para estimular a atividade econômica neste ano de crise tiveram um impacto sobre a arrecadação federal de R$ 23,265 bilhões no acumulado do ano. Em novembro, esse impacto foi de R$ 1,976 bilhão, segundo dados divulgados nesta terça-feira pela Receita Federal.
- A previsão do governo é de que todas as medidas de desoneração tomadas para estimular a atividade econômica gerem um impacto negativo na arrecadação de R$ 24,901 bilhões.
- Em novembro, a arrecadação de impostos e contribuições federais, que vinha com 11 meses em queda na comparação com o mesmo mês do ano anterior, mostrou forte recuperação. Segundo o coordenador-geral de Estudos, Previsão e Análise da Receita Federal, Raimundo Eloi de Carvalho, com o fim das desonerações, os resultados da arrecadação tributária tendem a melhorar ainda mais.
Dezembro
- A arrecadação de impostos e contribuições federais do mês de dezembro deve contar com cerca de R$ 3 bilhões referentes ao Imposto de Renda relativo a rendimento de capital, segundo Carvalho, que explicou que a apuração deste tributo é semestral, com recolhimento em junho e dezembro, por isso, o resultado do próximo mês será impactado positivamente.
- Com relação à transferência de depósitos judiciais tributários da Caixa Econômica Federal para a Conta Única, Carvalho disse acreditar que essa transferência tenha se encerrado em novembro. Devem ingressar recursos relativos a depósitos judiciais não tributários, mas Carvalho não soube prever o volume.
- O coordenador da Receita destacou que as vendas do Natal terão reflexo mais forte na arrecadação de janeiro. Mas previu para dezembro a continuidade do movimento de recuperação da arrecadação tributária. "A recuperação da atividade econômica e as ações da Receita Federal contra a sonegação podem se refletir no fluxo da arrecadação", disse Carvalho, acrescentando que, a partir do primeiro trimestre de 2010, "seguramente teremos recuperação".
- No Brasil, o otimismo em relação à economia em 2010 foi corroborado pelo Relatório Trimestral de Inflação, divulgado esta manhã pelo Banco Central. O documento traça um cenário bem positivo para o próximo ano, com previsão de crescimento do PIB de 5,8%. O número é superior às projeções do mercado financeiro, que espera expansão de 5%, conforme a pesquisa Focus divulgada ontem.
Fonte: Agência Estado
Ctba, 22/dez/09
Prof.ª Mª M. Prybicz





Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Economista/Professora/Escritora de Blog e outros; Disciplina: Gestão de Negócios; - Autonomia em Consultorias em Geral.