prybiczmaria@gmail.comFollow by Email tyle>.ig-b- { display: inline-block; } .ig-b- img { visibilit

terça-feira, 26 de maio de 2009

"ECONOMIA CUBANA"

CUBA ADOTA LEMA "ECONOMIA OU MORTE" PARA SUPERAR A CRISE

- Cuba adotou o lema "economia ou morte" para sobreviver à crise financeira global, informou nesta sexta-feira a imprensa oficial, no mais recente sinal de alarme no país com problemas de liquidez e grande dependência das importações.
As autoridades cubanas disseram na semana passada que poderiam recorrer a apagões programados para economizar energia, ressuscitando um dos fantasmas da grave crise econômica sobrevinda após o colapso da União Soviética em 1991.
- "A gravidade do problema é de tal natureza que se politicamente dizemos 'Pátria ou morte', sem exagero podemos dizer no âmbito econômico 'economia ou morte'", disse o jornal Granma, do Partido Comunista, em um editorial escrito por seu diretor, Lázaro Barredo.
O novo lema foi atribuído pelo Granma ao presidente do Banco Central, Francisco Soberón.
- "As complicações financeiras nos obrigam a realizar reajustes econômicos sob circunstâncias extraordinárias", disse o jornal.
O Granma também criticou o desperdício e a baixa produtividade das empresas estatais.
- "O país não necessita de burocratas nem de tecnocratas, necessita de administradores que sejam zelosos guardiões do Estado socialista", afirmou.
Empresários estrangeiros vêm se queixando há algum tempo sobre o descumprimento de pagamentos e problemas para repatriar os lucros. Alguns diplomatas estrangeiros temem que Cuba esteja à beira da insolvência.
Os bancos cubanos têm advertido aos seus clientes de que não dispõem de dinheiro vivo.
A crise de liquidez representa um sério desafio para Cuba, que depende fortemente das importações.
Cuba também foi castigada no ano passado por três furacões que causaram danos de 10 bilhões de dólares. Além disso, viu despencar os preços do níquel, que era sua principal fonte de ingresso de divisas.
O presidente Raúl Castro advertiu há um ano que os cubanos deveriam estar preparados para receber más notícias.
"É preciso que se apertem os cintos e não é possível enfrentar esta batalha com passividade", disse o Granma na sexta-feira.

Fonte: Agência Reuters

Ctba, 24/mai/09
Maria M. prybicz

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Economista/Professora/Escritora de Blog e outros; Disciplina: Gestão de Negócios; - Autonomia em Consultorias em Geral.