prybiczmaria@gmail.comFollow by Email tyle>.ig-b- { display: inline-block; } .ig-b- img { visibilit

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

"ECONOMIA NO TRABALHO"

PEDIR TAREFAS "INÚTEIS" E HUMILHAR COLEGAS SÃO SINAIS DE ASSÉDIO MORAL.
-  O chefe que sobrecarrega o empregado com tarefas inúteis para apressar sua dispensa ou forçar uma demissão está cometendo assédio moral. Expor o funcionário a situações humilhantes e a torturas psicológicas constantes também são fatores que caracterizam esse abuso, como explica Fernando Marques Jr., especialista em direito processual do trabalho, no livro "Assédio Moral no Ambiente de Trabalho" (LTr).
- O autor conta que o assédio moral pode ocorrer nas relações entre pais e filhos, maridos e mulheres ou no ambiente escolar, mas que é muito mais comum dentro das empresas. "Ele acontece nos locais onde há competitividade entre agressor e vítima ou existam relações de hierarquia, em que o superior fiscaliza, controla, regula, analisa ou coordena os seus subordinados", diz um trecho do livro.
- O especialista também fala sobre como juntar provas para pedir, na justiça, a indenização prevista para estes casos, além de deixar claro os danos, muitas vezes irreversíveis, para as vítimas, que em muitas ocasiões chegam a cometer suicídio por causa da pressão intensa e falta de perspectiva.
- Abaixo, leia um trecho do livro que fala sobre alguns dos fatores que levam os profissionais das empresas a cometerem assédio moral.
Caracterização do Assédio Moral
- O assédio moral ocorre, principalmente, em decorrência de uma situação conflitiva mal resolvida, que ocasiona a prática de uma conduta abusiva, por parte do agressor, contra a vítima. Como exemplo, pode-se citar uma disputa entre colegas de trabalho, por uma promoção. Após a formalização do ato que determina a ascensão profissional de um deles, o colega promovido pode perseguir o seu subordinado ou vice-versa.
- Desse modo, o mobbing no ambiente de trabalho ocorre nas empresas que possuem um sistema organizacional atrasado, centradas no poder de mando dos dirigentes, na hierarquia e na subordinação dos empregados.
- É nessas empresas que o assédio moral aparece com mais frequência, pois há uma exigência, muitas vezes, exagerada do empregador no que tange à produção, à subordinação e aos horários, e ainda porque esse tipo de organização empresarial incentiva a competitividade entre os empregados.
- O assédio moral no ambiente de trabalho constitui a pior forma de estresse social. Tal situação é agravada pela majoração dos índices de desemprego ou de subemprego. O empregado que se revoltar contra essas práticas e pedir demissão ficará um tempo cada vez maior esperando sua recolocação no mercado de trabalho ou, se conseguir um novo emprego logo em seguida, fatalmente seu salário será inferior àquele recebido até então.
- Existe também outra situação bastante comum em que o assédio moral é praticado pelo empregador, contra o empregado. Impedido de demitir esse empregado, o empregador, muitas vezes, o afasta de suas funções e o confina em uma sala, compelindo-o a uma ociosidade constrangedora.

Fonte: IG On Line; Iniciação ao Direito do Trabalho. Nascimento, Amauri -Editora FDT - 2007.
Ctba, 12/fev/10
Prof.ª Mª M. Prybicz

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Economista/Professora/Escritora de Blog e outros; Disciplina: Gestão de Negócios; - Autonomia em Consultorias em Geral.