prybiczmaria@gmail.comFollow by Email tyle>.ig-b- { display: inline-block; } .ig-b- img { visibilit

quinta-feira, 14 de maio de 2015


IMPULSIONAR! ESSA, É A MÁXIMA PARA OS NEGÓCIOS!
O cenário econômico atual do país, agravado pela grave crise política que atravessamos, é extremamente desafiador para qualquer empreendedor. Inflação alta, redução de consumo e aumento de carga tributária – por conta dos ajustes fiscais dos governos federal e estadual – são apenas alguns dos fatores que vêm comprometendo ainda mais a já combalida competitividade do setor produtivo brasileiro e paranaense.
Na indústria, os indicadores não são nada animadores. No primeiro trimestre deste ano, o setor industrial do Paraná acumulou queda de 7,5% em suas vendas. Alguns segmentos enfrentam sérias dificuldades e, infelizmente, demissões começam a ocorrer em certa escala. Têm sido recorrentes no noticiário exemplos de grandes empresas que já adotam medidas para readequar seus custos e encarar as turbulências.
Precisamos nos manter otimistas e ter coragem para trilhar novos caminhos

Infraestrutura para garantir o crescimento de todo o Brasil (5 de abril de 2015)










Hoje, os pequenos negócios representam 99% dos estabelecimentos formalizados no Paraná e no Brasil, respondem em média por 60% dos empregos com carteira assinada e por 20% do Produto Interno Bruto (PIB). Somente em nosso estado, são aproximadamente 650 mil pequenos negócios. No setor industrial, as micro e pequenas empresas representam 97% do total das indústrias de transformação instaladas no Paraná. Elas são responsáveis por nada menos do que 304 mil postos de trabalho, o equivalente a 44,3% do total do pessoal empregado na indústria do Paraná.Em um panorama como este, sem dúvida alguma é importante que essas grandes companhias sejam amparadas. Porém, tão ou até mais fundamental é garantir a sobrevivência e possibilitar crescimento aos pequenos negócios. Em tempos de crise, até por possuírem estruturas mais enxutas e adaptáveis, são eles que têm mais condições de manter os empregos, gerar renda e movimentar a economia.

Um cenário adverso como o atual não pode fazer com que os pequenos empreendedores se retraiam. Pelo contrário, momentos de crise, se por um lado fazem aumentar os obstáculos, por outro nos tiram da zona de conforto e podem representar o empurrão necessário para buscar novos rumos aos nossos negócios.
Para mostrar como essas empresas podem superar as dificuldades e encontrar novas oportunidades, o Sistema Fiep e o Sebrae/PR, em parceria com a Faciap e a Fampepar, realizam nesta semana, em Curitiba, o primeiro Encontro das Micro e Pequenas Indústrias do Paraná. No evento, destacamos através de exemplos reais e de oficinas práticas dois instrumentos essenciais para o desenvolvimento das empresas desse porte: inovação e crédito.
Inovação, sempre apostando em boas ideias, é fundamental para que a empresa possa oferecer um diferencial ao mercado, conquistando assim novos consumidores e ampliando as possibilidades de negócios. Mas ela dificilmente será implantada em uma indústria sem que haja crédito para financiá-la. Meios para isso estão disponíveis e precisam ser aproveitados pelas micro e pequenas empresas.
Com esse movimento, o que queremos é impulsionar a competitividade de nosso segmento. E, acima de tudo, mostrar aos empreendedores que, independentemente dos obstáculos que se encontram à nossa frente, precisamos nos manter otimistas e ter coragem para trilhar novos caminhos que garantam o sucesso de nossos negócios, gerem mais empregos e contribuam para o desenvolvimento do país.
Edson Campagnolo é presidente do Sistema Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) e do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR.

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Economista/Professora/Escritora de Blog e outros; Disciplina: Gestão de Negócios; - Autonomia em Consultorias em Geral.