prybiczmaria@gmail.comFollow by Email tyle>.ig-b- { display: inline-block; } .ig-b- img { visibilit

terça-feira, 23 de outubro de 2012


ECONOMIA E NEGÓCIOS...

COMO INVESTIR SEU DINHEIRO COM SELIC A 7,25 %
- Abaixo alguns produtos de renda fixa. Antes de fazer a sua escolha, confira as vantagens e desvantagens de cada um.
Poupança. Produto com grande aceitação, a poupança tem a seu favor a isenção de IR e liquidez diária. Contudo, a modalidade nova da poupança não pode mais ser uma opção para quem procura rentabilidade, já que o ganho ficou em 70% da taxa básica de juros (Selic) mais Taxa Referencial (TR), que está zerada em função dos juros baixos.
Títulos bancários. Nem todos têm benefício tributário, mas costumam remunerar bem, em comparação com outros produtos de renda fixa. Exemplos desses são os CDBs e LCIs, nos quais o risco da aplicação é do banco.
CDB. O Certificados de Depósito Bancário tem rendimento atrelado ao Certificado de Depósito Interfinanceiro (CDI), que serve como taxa de referência e é próxima à Selic, de 7,25% ao ano. O rendimento da aplicação sofre tributação retroativa e vale a pena se o investidor conseguir uma taxa igual ou muito próxima do CDI – o que geralmente ocorre quando o valor de investimento é mais alto. A liquidez do produto é diária.
LCI.  As Letras de Crédito Imobiliário vêm ganhando maior atenção do investidor que procura rentabilidade. Além do benefício tributário de isenção do Imposto de Renda, a LCI promete boa rentabilidade em comparação com outros produtos da renda fixa e tem liquidez diária. Como rentabilidade, oferece uma porcentagem do CDI, assim como o CDB. Nem toda instituição tem aplicações lastreadas em LCI disponíveis a qualquer momento. Como opção, é possível procurar uma corretora financeira, que também ofereça o serviço.
Títulos públicos
Em todos eles, o rendimento será tributado pelo IR e o risco que o investidor corre é de o governo ‘quebrar’. Vale ressaltar que não há taxa de administração para a modalidade. Mesmo assim, é possível que haja uma taxa de corretagem, embora não seja toda corretora que faz a cobrança. O ideal é pesquisar. Os mais populares são as LTN’s e NTN-B.
LTN. A letra do Tesouro Nacional é prefixada e rende o equivalente à Selic da época da aquisição. Vale a pena se a expectativa é de que a taxa caia.
NTN-B. Rende a taxa de juros mais a variação da inflação do período e é pós-fixada. É uma boa opção para quem pensa em fazer uma aplicação de longo prazo, pois, além de garantir uma remuneração mínima, o poupador se protege contra a inflação.
Fundos de investimento
Com os juros em queda, é muito importante que o investidor veja qual é a taxa de administração dos produtos, que, para especialistas, deve estar abaixo de 1% ao ano.
Fundos de renda fixa. Normalmente compostos de títulos prefixados. O rendimento é tributado.
Fundos DI. Rendimento acompanha a evolução da taxa DI. Para analistas, as carteiras só valem a pena se a taxa de administração estiver em 0,5% ao ano. Ainda assim, o rendimento é tributado.
Compare os rendimentos de uma aplicação inicial de R$ 10 mil em três produtos diferentes, tributados ou não, após um ano.

Taxa de rendimento anual
Rendimento líquido
Total
Poupança
5,80%
R$ 508,00
R$ 10.508,00
Fundo DI com taxa de adm. a 0,5% ao ano
5,54%
          R$ 554*
R$ 10.554,00
LCI
6,53%
R$ 653,00
R$ 10.653,00

*Já descontada a tributação de 20% do rendimento
Fonte: Renato Roizenblit, gestor de patrimônio da corretora SLW
Fonte: Estadão/Economia.
Ctba, 23/out/12
Maria Prybicz

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Economista/Professora/Escritora de Blog e outros; Disciplina: Gestão de Negócios; - Autonomia em Consultorias em Geral.